Adição de biodiesel e redução do enxofre no diesel mineral

Apesar dos ganhos ambientais com a redução do enxofre e com a adição progressiva de biodiesel no diesel mineral, as frotas de veículos estão sofrendo com a degradação acelerada no diesel B , que se não receberem a atenção devida podem se tornar um grande problema para as empresas.


Imagine que reservatório de água de uma cidade está infectado por uma bactéria nociva a população. Agora, imagine que companhia de água da cidade, não tenha a quantidade de bactericida necessário para matar essa bactéria. Já pensou nos males que isso causaria aos habitantes da cidade que consumissem essa água ?


Nesse caso, a água iria para os reservatórios das casas e contaminaria todo recipiente que ficasse armazenada e prejudicaria todas as pessoas que as consumissem , até que o problema fosse resolvido.


Fazendo uma analogia simples com essa história, é como se o diesel fosse a "água do reservatório", porque abastece todos os veículos da empresa e é de extrema importância para seu funcionamento, se este combustível sofre por contaminação bacteriana, acarretará em grandes problemas na cadeia de produção e faturamento da empresa, ou seja , um problemão que todos queremos evitar , não é mesmo?


Saturação acelerada de filtros, consumo elevado de combustível, perda de potência, danos aos sistema de injeção do veículo, e aumento de paradas dos veículos sãoalguns dos problemas causados pela modificação do diesel nos últimos anos comercializado no brasil.


A primeira mudança ocorreu em janeiro de 2008, no qual foi estipulado uma mistura de 2% de biodiesel (B2) ao diesel. No decorrer dos anos esse percentual vem aumentando gradativamente ,e atualmente estamos com um percentual de 10% de biodiesel (B10) com previsão de 15% (B15) até final de 2019.


Outra mudança, acatada por razões ambientais ocorreu entre 2009 e 2011, quando reduziu-se o teor de enxofre do diesel para níveis semelhantes aos praticados na Europa (10 ppm) , cumprindo o plano da ANP. Atualmente as classificações do diesel são referentes ao teor de enxofre presente no combustível, existem dois tipos distintos: o S500 (que corresponde a medida de 500 parte por milhão de enxofre em sua composição , ou 0,05% em volume) e o S10 ( 10 partes por milhão em sua composição ou 0,001% em volume).


+ BIODIESEL - ENXOFRE


A diminuição do teor de enxofre e o aumento progressivo do percentual de biodiesel tornaram o diesel mais suscetível a contaminações de origem bacteriana.O enxofre é bactericida natural , como uma espécie de anticorpos do diesel, quando se diminui o percentual desse elemento no combustível, tem-se um ganho do lado ambiental , que se da pela redução de emissão de gases poluentes , e uma perda no sentido da qualidade, ocasionado pela redução da lubricidade do combustível e aumentando a vulnerabilidade do diesel ao ataque das bactérias. Com a redução da lubricidade, acaba gerando maior desgaste das peças do motor como bombas injetoras e bicos, que são lubrificados pelo diesel.


A adição de biodiesel tem como objetivo principal a redução de gases poluentes em especial os gases de enxofre, altamente prejudiciais à saúde e ao meio ambiente. Na combustão do óleo diesel são gerados, em maior ou menor concentração, gases tóxicos tais como SO2 e SO3, responsáveis pela formação do ácido sulfúrico e com caraterísticas extremamente corrosivas.


O diesel por si só possui uma condição altamente higroscópica que o faz absorver mais umidade do ar. Com a adição do biodiesel de origem vegetal com propriedades ainda mais higroscópicas, este problema foi potencializado, tornando o combustível muito mais propenso à contaminação. Então, quando armazenado, o combustível fica sujeito a diversos fatores climáticos que o torna muito vulnerável. As diferenças térmicas, com altas temperaturas durante o dia e baixas temperaturas durante a noite, geram condensações internas que acabam se precipitando no óleo combustível, que facilmente as absorve.


Todos as mudanças ocorridas na composição do diesel, o deixa mais vulnerável a contaminações, o importante neste caso é sempre acompanhar de perto o processo armazenamento e controle deste combustível, com o intuito de manter a qualidade do combustível por mais tempo.



#deolhonodiesel #fiquepordentro

24 visualizações

+55  (31)  4112 - 2212

+55  (31)  3911- 4052

  • Grey Facebook Ícone
  • Grey Instagram Ícone